Publicado em Leitura, Psicologia

Os Olhos do Abismo

Júlia Kendall, a personagem título da série Aventuras de uma Criminóloga, discorrendo sobre a profissão. Acho lindo, acho factual, me identifico pacas. ❤

digitalizar0092

Em Júlia Kendall – Aventuras de uma Criminóloga, #1. Editora Mythos.

Publicado em Leitura, Progresso!

027 – Ler 50 livros – não comics. Parte 2

Esse post demorou um cadinho pra sair, justamente porque a maior parte das minhas leituras atualmente é de comics. Mas vamos que vamos, que até 2019 eu consigo juntar cinquenta livros lidos.

Oremos.

Então, continuando:

11 – 20.10.2016 – 101 Fatos Sobre Star Wars – Jonas Silvestre (♥♥)

12 – 21.10.16 Guardians – Micaela & MaireLuciane Rangel (♥♥)

13 – 24.10.2016 – Fernão Capelo Gaivota – Richard Bach (♥♥♥♥♥♥♥♥)

14 – 10.11.16 Vida Após a MorteDamien Echols (♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

Aos dezoito anos, Damien Echols foi apontado como líder de um grupo satavida_apos_a_morte_1367355561bnista e principal responsável pelo assassinato de três garotos de oito anos em West Memphis, no Arkansas. Após um julgamento marcado por falsos testemunhos, provas manipuladas e histeria pública, em 1994 seus amigos Jason Baldwin e Jessie Misskelley foram condenados à prisão perpétua, e Damien foi enviado ao corredor da morte, onde aguardaria sua execução. As irregularidades gritantes no desenrolar do processo, bem como a apatia dos advogados de defesa, chegaram ao conhecimento do público dois anos depois, quando a história conquistou repercussão mundial através de um documentário. Nos anos seguintes, foram produzidos outros três documentários sobre o caso e a causa foi abraçada por celebridades de Hollywood, que se empenharam vigorosamente para que a justiça fosse feita, o que culminou com a libertação do trio de West Memphis em 2011.

Minha opinião: Adoooooro livros sobre casos reais de crimes ou sobre o processo criminal! Apesar do título meio religioso, a história contada pelo próprio Damien me pegou de jeito. De uma forma bem cativante, ele conta sobre sua vida desde o início e sobre os eventos que levaram à sua acusação, como foi seus anos como encarcerado, como conheceu a atual esposa que o ajudou a ser reconhecido como inocente e um pouco dos rumos que sua vida tomou após alcançar a liberdade. O livro trás boas reflexões e ele até foi citado aqui no blog durante a leitura (aqui, aqui e aqui). As fotos ao final são ótimas e ajudam a ilustrar a narrativa, apesar de que se você googlar Damien Echols ou o Trio de West Memphis não faltarão fotos e vídeos. O fato do Johnny Depp ter sido um dos grandes apoiadores de Damien também me influenciou muito a dar início a leitura (os dois se tornaram grandes amigos e até fizeram tatuagens semelhantes).

15 – 04.12.2016 – Um Tom Mais Escuro de Magia – V. E. Schwab (♥♥♥♥)

16 – 09.12.16 NimonaNoelle Stenvenson (♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

17 – 19.12.2016 – A Matemática nos Tribunais – Uso e Abuso dos Números em Julgamentos – Leila Schneps e outros (♥♥♥♥♥♥♥♥)

a_matematica_nos_tribunais__1400869249bUm criminoso está prestes a ser libertado por efeito de um cálculo errado. A enfermeira Lucia de Berk será condenada à prisão por causa de uma contagem dupla. Um militar francês definha no cárcere por culpa de uma probabilidade altamente improvável. Dois jovens são soltos, embora possam ter assassinado brutalmente uma colega. A Matemática nos Tribunais analisa dez casos que ilustram como até agora a estatística tem ajudado a engrossar a fileira dos erros judiciais – pelo mau uso dos números em julgamentos. São histórias reais que demonstram como a matemática pode ser, de fato, uma questão de vida ou morte. Sem deixar de fora todos os elementos e o ritmo de uma boa história de mistério, cada um dos casos é investigado em detalhes. Da reconstituição do crime à ação dos principais personagens envolvidos – entre réus, advogados, testemunhas, promotores e peritos -, as autoras conduzirão o leitor pelos labirintos forenses e apontarão os equívocos cometidos pelo mau uso (ou má compreensão) dos números no processo legal.

Minha opinião: Um tema bem diferente dentro das minhas leituras de criminologia. Achei muito interessante e me abriu campo para novos pensamentos e considerações. O último caso apenas que não me prendeu muito, mas os outros nove não deixaram a desejar. Exceto, é claro, pelo fato de que alguns ainda estão em tramite, o que impede de sabermos dos desfechos pelo livro.

18 – 02.01.2017 As Mil NoitesE. K. Johnston (♥♥♥♥♥)

as_mil_noites_1468967193598129sk1468967193bQuando Lo-Melkhiin chega àquela aldeia — após ter matado trezentas noivas —, a garota sabe que o rei desejará desposar a menina mais bela: sua irmã. Desesperada para salvar a irmã da morte certa, ela faz de tudo para ser levada para o palácio em seu lugar. A corte de Lo-Melkhiin é um local perigoso e cheio de beleza: intricadas estátuas com olhos assombrados habitam os jardins e fios da mais fina seda são usados para tecer vestidos elegantes. Mas a morte está à espreita, e ela olha para tudo como se fosse a última vez. Porém, uma estranha magia parece fluir entre a garota e o rei, e noite após noite Lo-Melkhiin vai até seu quarto para ouvir suas histórias; e dia após dia, ela continua viva.

Minha opinião: Esse foi o livro do Turista Literário de Outubro/2016 e na verdade, se não o fosse, eu não o teria escolhido para ler de outra forma. A edição é lindíssima! Adorei a textura da capa e a cor. No entanto, alguns capítulos – onde o ponto de vista muda – são escritos com uma fonte que dificulta um pouco a leitura.

Gostei da personagem principal, ela é cativante e a autora conseguiu me prender num livro que é bem diferente do que costumo ler. Eu estava gostando bastante da história e querendo ver onde ia, como que a personagem conseguia escapar da morte por mil noites. Mas, de um certo ponto pra frente, o rumo mudou de um jeito que fiquei bem “WTF” no processo. Confesso, não gostei muito, mas como eu disse, a autora me manteve cativa pelo estilo de escrever. Ainda tô me questionando se realmente se passaram mil noites na narração, porque até me pareceu bem menos.

Enfim, não é meu estilo, não recomendaria, não gostei do rumo, mas valeu pela experiência. 

19 – 02.01.2017 – A Condessa Sangrenta – Alejandra Pizarnik (♥♥♥♥)

20 – 09.01.2017 The Last Train Home Blayne Cooper (♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

the_last_train_home_1284395526b It might have been the Gilded Age for the likes of Rockefeller and Carnegie—but newly arrived immigrants and poverty-stricken Americans packed into Manhattan’s teeming Lower Eastside were lucky to make ends meet. In this tumultuous time, factory worker Virginia Chisholm hopes for more, but her dreams go up in smoke when a tenement blaze rips her family apart. Aided by Lindsay Killian, the street-wise, rail-riding drifter she meets in a charity hospital, Ginny follows the orphan train that has taken her siblings west. The desperate quest to reunite her family takes the young women from the slums of New York City to the farms of West Virginia and the bustling frontier beyond. This harrowing journey moves Ginny and Lindsay from one mishap and adventure to another. It also leads them from friendship to a tender and unexpected romance.

Minha opinião: Ahhhhh!! Blayne Cooper! Uma das minhas autoras favoritas desde a adolescência, quando comecei a ler as fanfictions dela que se tornaram livros. Cada narrativa dela é uma aventura, pois ela consegue navegar nos diferentes estilos com muita facilidade. The Last Train Home é um pouco mais sombrio, mas sem deixar de ter os traços de humor que lhe são bem característicos.

É a terceira vez que leio esse, assim como eu já reli outros livros da autora, de tempos em tempos. É como revisitar velhos amigos. As histórias e os personagens ficam na mente e me acompanham por longos períodos. A leitura é tranquila e divertida, sem perder as partes emocionantes. Eu só lamento que os livros dela não sejam mais difundidos. São ótimos! 🙂

Cheers, kiddos!

Publicado em Leitura, Progresso!

027 – Ler 50 livros – não comics. Parte 1

01 – 17.06.16 – Soppy – Phillipa Rice (♥♥♥)

02 – 22.06.16 – A Menina dos Olhos de Ouro – Honoré de Balzac (♥♥)

03 – 27.06.16 – Sejamos Todos Feministas – Chimamanda Ngozi Adichie (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

sejamos_todos_feministas_1411848602bNeste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Minha opinião: Livro curtinho que dá pra ler de uma vez só, mas com uma mensagem óotema! Aborda alguns dos principais temas feministas e é bom pra quem já conhece um pouco da luta e pra quem quer começar a entender.

04 – 29.06.16 – Lágrimas de Silêncio – Ângela Chaves (♥♥♥♥♥♥♥♥)

lagrimas_de_silencio_1370108714b

Abusada pelo pai desde o sete anos de idade, sob olhar silencioso da mãe, Angélica viveu o drama do incesto. Da infância à adolescência foram anos de abusos. Livre do pai, é abusada pelo meio-irmão. Duas gravidezes e uma vida destruída. Do fundo do poço, à beira da loucura e abandonada pela família, Angélica luta para reconstruir sua vida e dignidade.

Minha opinião: Comprei esse livro direto da autora, após ouvir sua história de vida em uma palestra sobre violência sexual em Florianópolis. Um relato impressionante de superação. Algumas partes são um  pouco complicadas de ler, tamanha violência sofrida, mas é um ótimo livro praquelas pessoas que adoram aquele discurso pronto do “tem mulher que gosta de apanhar”, por exemplo.

05 – 30.06.16 – O Papel de Parede AmareloCharlotte Perkins Gilman (♥♥♥♥♥♥)

06 – 06.09.16 – O Menino Maluquinho – Ziraldo (♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

07 – 16.09.16 – Este Livro É Gay – James Dawson (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

este_livro__gay_1445704399533404sk1445704399b

Este livro é gay trata de uma questão muito importante e, às vezes, de difícil abordagem entre professores, pais e jovens: a sexualidade. Com um texto muito claro e ilustrações engraçadas, o livro lembra um manual. O autor convida os leitores a refletir, de maneira honesta e sem preconceitos, sobre os desejos sexuais de cada um, defendendo, acima de tudo, o respeito às escolhas.

Minha opinião: Queria que esse livro existisse na minha adolescência! Gostei bastante, achei bem informativo, divertido, atual e inovador ao público que se destina, aos pais e aos curiosos de plantão. Espero que ele ajude a dissipar muitos mitos pro aí, hehe. E sim, a edição brasileira, especialmente a tradução deu um show! Ponto pra lista das ongs no final, mas poderiam ter incluído os serviços públicos também (puxando brasa pra sardinha). 😉

08 – 10.10.16 – Carmilla – Sheridan leFanu (♥♥♥♥♥♥♥)

09 – 14.10.16 – Lies We Tell Ourselves – Robin Talley (♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

lies_we_tell_ourselves_1431897770414653sk1431897770b

In 1959 Virginia, the lives of two girls on opposite sides of the battle for civil rights will be changed forever.

Sarah Dunbar is one of the first black students to attend the previously all-white Jefferson High School. An honors student at her old school, she is put into remedial classes, spit on and tormented daily.

Linda Hairston is the daughter of one of the town’s most vocal opponents of school integration. She has been taught all her life that the races should be kept “separate but equal.”

Forced to work together on a school project, Sarah and Linda must confront harsh truths about race, power and how they really feel about one another. Boldly realistic and emotionally compelling, Lies We Tell Ourselves is a brave and stunning novel about finding truth amid the lies, and finding your voice even when others are determined to silence it.

Minha opinião: Esse livro tem tudo pra virar filme! Seria maravilhoso vê-lo na tela, porque a narrativa é envolvente demais. Os personagens ficam com a gente e tenho certeza que vou lembrar da descrição da Sarah chegando à escola pela primeira vez por muito tempo!

10 – 19.10.16 – Tell Me Again How a Crush Should Feel – Sara Farizan (♥♥♥♥♥)

 

Cheers, kiddos!

Publicado em Fangirl-isms, Leitura, Progresso!

030 – Ler Rachel Rising

rachel

 

Rachel Rising é uma revista em quadrinhos americana, publicada de forma independente desde agosto de 2011 pelo seu próprio criador, o escritor e desenhista Terry Moore. A serie tem como protagonista Rachel, uma mulher que “acorda” após ter sido assassinada e enterrada em uma cova rasa.

As obras de Moore se caracterizam pela presenca de mulheres de personalidade forte como protagonistas, ainda que ele adote diferentes generos para cada uma: Rachel Rising segue o gênero “terror“, algo consideravelmente diferente da ficção científica de Echo e da comédia romântica de Strangers in Paradise. Em 2012, Rachel Rising foi indicada ao Eisner Award, na categorias de “Melhor Série e no ano seguinte foram anunciados planos para a produção de uma série de televisão baseada na revista. (retirado da Wikipedia)

.

Que saudade que eu tava do tio Terry Moore! Depois de Strangers in Paradise eu o acompanhei, mas mais de longe. Ler mesmo, só o Fugitivos, onde ele contribuiu com a Marvel – coisa linda. Tinha até começado a outra serie dele, Echo, mas larguei. Quando vi que Rachel Rising estava chegando ao fim não pensei duas vezes, era hora de me entranhar no mundo maravilhoso da escrita dele novamente!

And I have no regrets! Agradecendo às boas almas que disponibilizam os arquivos em cbr., uploadei tudo pro tablet e li os 42 números em poucos dias – desejando que aquilo não acabasse tão cedo. O senso de humor dele que eu tanto amo estava lá, as mulheres maravilhosas que ele descreve tão bem estavam lá, os personagens únicos, os plot twists, as reflexões, as referências à cultura espalhadas pelos quadrinhos… Tudo que eu adooooorava em SiP estava lá. Agora tô aqui esperando que aquele cliffhanger vire um sequência ou que parta para a telinha como está sendo cogitado. 🙂

Echo – tô de olho em você agora!

Cheers, kiddos!

Publicado em Leitura

The Well of Loneliness

‘You’re neither unnatural, nor abominable, nor mad; you’re as much a part of what people call nature as anyone else; only you’re unexplained as yet — you’ve not got your niche in creation. But some day that will come, and meanwhile don’t shrink from yourself, but just face yourself calmly and bravely. Have courage; do the best you can with your burden. But above all be honourable. Cling to your honour for the sake of those others who share the same burden. For their sakes show the world that people like you and they can be quite as selfless and fine as the rest of mankind. Let your life go to prove this — it would be a really great life-work, Stephen.’

Publicado em Leitura

Filosofia para Corajosos

de Luiz Felipe Pondé:

Na linguagem do grande filósofo Friedrich Nietzsche (século XIX), pensar com sua própria cabeça ou fazer uma história da filosofia vista pelos seus próprios olhos é “aprender a falar sua própria língua”. Fazer isso não é tarefa para covardes. Se você for um covarde, melhor se concentrar em sua alimentação balanceada. Cuidado: recentemente a OMS, Organização Mundial da Saúde, um braço da estatal incompetente que é a ONU, disse que bacon, salame e salsicha dão câncer! Melhor ficar na alface.

e

[…] todo conhecimento verdadeiro começa com um profundo entristecimento consigo mesmo. Schelling, por sua vez, falou da relação entre tristeza, personalidade forte e conhecimento numa obra à qual ele deu o nome de A essência da liberdade humana. Nunca seremos livres, mas a vida com coragem pode ser mais bela. Existem todas as razões do mundo para termos medo, por isso a coragem foi apontada desde a Antiguidade como sendo uma das virtudes essenciais na vida.

Publicado em Leitura, Psicologia, Trabalho

Consigna

captura-de-tela-inteira-21092016-103526-bmp

.

captura-de-tela-inteira-21092016-103130-bmp

 

“Técnicas Fundamentais Do Psicodrama” – Regina Fourneaut Monteiro, pg. 22

Publicado em Leitura

Sobre o afeto.

“Quer-se ser amado, na falta disso admirado, na falta disso receado, na falta disso detestado e desprezado. Quer-se proporcionar às pessoas alguma espécie de sensação. A alma se agita diante do vazio e deseja um contato a qualquer custo.”

In Doutor Glas, do poeta sueco HJALMAR SÖDERBERG

Publicado em Leitura, Meme Literário

O Meme Literário de um Mês 2012 – Dia 05

Você costuma ler graphic novels e/ou gibis?
(Gosta? Não gosta? Tem algum que seja o favorito? Fale sobre isso.)

Ô, se gosto! Cresci rodeada de Tio Patinhas, Pato Donald, Recruta Zero (meu favorito) e afins, que eram do meu pai. Depois, ganhei dele uma assinatura da Turma da Mônica, que durou onze anos. Mais tarde, eu mesma refiz a assinatura, quando a Turma se mudou pra Panini. Eu também gostava de ler os gibizinhos do Mortal Kombat que eram lançados na época.

Passei pro Graphic Novels facinho facinho, com Strangers in Paradise, do Terry Moore. Minha estréia não poderia ter sido melhor, deosdoceu! “SiP” é imbatível e não sei como não virou mainstream total (mas deixa como tá, que tá óoootimo! x). Li os 13 anos de história em algumas semanas e acompanhei o último ano em tempo real. Fiquei maravilhada. Continuei lendo mais coisas, como Runways, V de Vingança, Do Inferno, X-Men (A Saga da Fênix comprei em um sebo!), 100 Balas, Y – The Last Man, Buffy the Vampire Slayer  e os outros do Terry Moore, Echoes e Rachel Rising.

Hoje em dia compro As Aventuras de uma Criminóloga, do Giancarlo Berardi (que chamo apenas de Julia) direto, é o meu atual favorito. Tem mercados que vendem números atrasados, que é ótimo, e na banca compro os novos.