Publicado em Leitura, Psicologia

Nise da Silveira <3

“Desprezo as pessoas que se julgam superiores aos animais. Os animais têm a sabedoria da natureza. Eu gostaria de ser como o gato: quando não se quer saber de uma pessoa, levanta a cauda e sai. Não tem papo.”

just_cat_more_space

“Eu me sinto bicho. Bicho é mais importante que gente. Pra mim o teste é o bicho, se não passar por ele, não tem vez. Freud disse que quem pensa que não é bicho, é arrogante.”

Publicado em Leitura, Psicologia

“Você vai trabalhar no SUAS”

O SUAS só pode ser um campo para os indignados: aqueles que esbravejam contra as desigualdades e injustiças que permeiam a vida dos nossos usuários, aqueles que esbravejam contra as dificuldades que permeiam a atuação dos trabalhadores do social. Podemos estar longe das transformações necessárias para a efetivação da política. Mas estamos no caminho.

De Lívia de Paula, em “Você Vai Trabalhar no SUAS”: Considerações sobre uma não-escolha.

Publicado em Leitura, Psicologia

Nada é verdadeiramente uma desgraça.

Nada é verdadeiramente uma desgraça. Tudo depende da atitude em relação ao fato. “Todos os fatos são externos”, disse Marco Aurélio, “quem se manifesta a respeito deles? Tu. Logo, é a tua opinião que lhes dá vida para teu bem ou para teu mal”.

Quem procura a felicidade a encontrará, desde que transforme o interesse do próximo no seu próprio. A felicidade e, portanto, a alegria de viver significam aceitar a realidade e utilizar as possibilidades do dia-a-dia.

Finalmente, a fórmula mais concisa contra os desgostos, que podem destruir o amor à vida, quem nos dá é a filosofia hindu: “Se tuas penas têm remédio, por que te preocupas? Se não têm, por que te preocupas?”.

.

– Porque o Homem Se Mata – Ensaio de Psicologia Criminal, Luíz Angelo Dourado, pg. 81

Livre de vírus. www.avast.com.
Publicado em Fangirl-isms, Fotos, Games, Nerdices, Xbox One

Motivos para amar Assassin’s Creed Syndicate

ACS_Promotional_Screenshot_16

Embora eu não tenha jogado TODOS os jogos da franquia ainda, Assassin’s Creed sempre foi um título garantido na minha lista de compras e cada parte da saga me deixava entretida por horas a fio. No entanto, com o passar das histórias, tanto a similaridade entre o trajeto de cada assassino como a mecânica meio truncada do jogo me deixou desanimada.  Acabei deixando minha última aquisição – Black Flag – inacabada.


O ambiente.

ACS_Gamescom_Promotional_Screenshot_3

Mas quando eu soube que o próximo cenário seria na Londres vitoriana eu não resisti e resolvi dar mais uma chance aos Assassinos. Eu adoro a era vitoriana e não tinha como deixar um jogo em mundo aberto que se passa nessa época de lado.


Evie Frye.

Evie_Frye

Não bastasse o primeiro chamariz, quando vi as primeiras imagens de Syndicate, me empolguei de vez: Uma mulher! Uma Assassina! Pela primeira vez em toda a franquia, uma personagem feminina jogável! UAU! Não dá pra acreditar que em pleno 2017 isso ainda seja um motivo de surpresa.

Evie Frye, poderosíssima, é irmã gêmea – mais velha por quatro minutos – de Jacob Frye (que é o típico Assassino já retratado tantas vezes nos jogos anteriores). Habilidosa, inteligente, carismática e tão protagonista quanto o irmão. Você pode selecionar com quais dos dois jogar, exceto em partes específicas, já que cada irmão toma caminhos diferentes no desenvolver da história, e CLARO que estou jogando com Evie em todas as oportunidades, só oferecendo ao Jacob o básico necessário pra que ele cumpra as missões dele.

É um alívio, como mulher gamer, ver outra mulher fazer parte e estar à frente de um título poderoso como AC. E sem ser objetificada ou subjulgada por isso. Tendo jogado apenas com homens Assassinos até então, posso dizer que o fato de percorrer os desafios com uma Assassina faz sim diferença na minha experiência, se não no jogo em si. Representatividade importa, gente. Ainda mais tendo os índices de mulheres gamers aumentado tanto ultimamente.


Representatividade.

maxresdefault

Não só Evie Frye toma liderança em Syndicate, mas muitas outras mulheres também. Claro, a maioria em papéis de vilã – líderes de gangues, snipers dos Blighters e a braço-direito de Crawfors Starrick, o malvadão da história -, mas ainda assim, rostos femininos que fazem a diferença.

Tem também uma personagem transexual! UAAAU! Ned Wynert (nascido Henrietta), é um homem de negócios e aliado de Evie e Jacob (e ouvi dizer que foi baseado em um personagem real). Ele está sempre por perto e no ponto do jogo em que estou ainda não ouvi uma palavra sequer sobre seu gênero, o que é fantástico!


Celebridades!

Por último, mas não menos importante, alguns célebres desfilam por nosso querido jogo e nos permitem ter pequenos deslumbres de como eles podem ter sido em seu tempo. Alexandre Graham Bell, Karl Marx, Charles Darwin, Charles Dickens e Jack, o Estripador, sendo os maios famosos deles.


Se, como eu, você havia aberto mão de Assassin’s Creed como um todo, ou se por qualquer motivo ainda não decidiu que seria uma boa ideia se aventurar pelas úmidas ruas londrinas, aceite minha sugestão de um bom passatempo e divirta-se – seja com a Evie ou com o Jacob.


“Uma revolução diferente está nascendo. Mais sutil. Uma chama das cinzas de uma velha irmandade. Nós vamos ressuscitar.” – J. Frye


Cheers, kiddos!

Publicado em Fotos, Letras que dizem tudo, Música

I’ll drown in the wonders

apple-fiona-516f128b9b203

Yeah, I’ll be your pet, if you just tell me it’s a gift
Cuz I’m tired of whys, choking on whys,
Just need a little because, because
I let the beast in and then;
I even tried forgiving him, but it’s too soon
So I’ll fight again, again, again, again, again.
And for a little while more, I’ll soar the
Uneven wind, complain and blame
The sterile land
But if you’re getting any bright ideas, quiet dear
I’m blooming within
Fast as you can, baby wait watch me, I’ll be out
Fast as I can, maybe late but at least about
Fast as you can leave me, let this thing
Run its route
Fast as you can.

– Fiona Apple

Publicado em amor, Leitura

Georgia Peaches and Other Forbidden Fruit

Author’s Note

GEORGIA_PEACHES_AND_OTHER_FORB_1463346684584696SK1463346684B

Faith is important to a lot of the world and for far too many queer youth, growing up with religion can be a painful experience. I wanted this novel to be something a young queer person of faith could hold on to as a bright spot while they navigate the waters of finding themselves. Maybe this story is too optimistic or maybe it’s exactly where we are in an exciting time of change, but as Althea says to Jo, didn’t God make you in his image? Aren’tyou worthy of that love?

You will know when you feel safe. (Your gut is a powerful self-protector!) You will know the right time to tell your faith community. You will know if you can’t. You may need a new faith community. You may leave religion altogether. But if a faith community is important to you, then you should be able to have it. And if you are an ally reading this book, stand up for your queer friends and don’t make room for hate in your belief systems.

As you walk away from this novel, there’s one thing I’d like you to take with you […], and that’s the knowledge that there are many people in the world who think you are perfect just the way you are.

Go out and find them.

– Jaye Robin Brown

Publicado em Uncategorized

A letra A

Certeza é o chão de um imóvel
Prefiro as pernas que me movimentam.


—​ Nando Reis​ ❤

icon-envelope-tick-round-orange-animated-no-repeat-v1.gif Livre de vírus. www.avast.com.
Publicado em Leitura, Progresso!

027 – Ler 50 livros – não comics. Parte 3

Opa! Mais dez livros pra conta! Agora falta menos da metade. Até 2019 dou conta, hehe.

Vamos lá:

21 – 11.01.2017 – Pax – Sara Pennypecker (♥♥♥♥♥♥♥♥)

PAX_1464978188589315SK1464978188B Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.
Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.

Minha opinião: Chorei! A última cena vai ficar comigo, certeza. A história é toda amorzinho, tipo Sessão da Tarde mesmo. Bom passatempo. 🙂

22 – 24.01.2017 A Sala dos Répteis (Desventuras em Série #2)Lemony Snicket (♥♥♥♥♥♥♥♥)

23 – 26.01.2017 – The Well Of Loneliness – Radclyffe Hall (♥♥♥♥♥♥)

24 – 09.02.2017 – O Lago das Sanguessugas (Desventuras em Série #3) – Lemony Snicket (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

25 – 13.03.2017 Serraria Baixo-Astral (Desventuras em Série #4)Lemony Snicket (♥♥♥♥♥♥♥♥)

26 – 15.02.2017 – Menina Má – William March (♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

MENINA_MA_1458835413572351SK1458835413BPublicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.

Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.

MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.

Minha opinião: Adorei que podemos acompanhar o ponto de vista da mãe, das desconfianças até a constatação do caráter da filha e as ferramentas que ela usa pra lidar com isso. É um foco diferente e empolgante. Rhoda, meiga, sorridente e com covinha, encanta a todos, mas tem uma das ganâncias mais severas que eu já vi.

O desenrolar da história sobre os anos iniciais de Christine também me chamou muito, mesmo que tenha sido usado como explicação para o comportamento atual de Rhoda (um tanto psicanalítico, como muitos outros pontos do livro – repressão de memórias e sonhos reveladores principalmente).

O filme é bem fiel ao livro, a atriz que faz Rhoda é apaixonante! O final foi alterado, por causa da política da época, então gostaria muito de vê-lo adaptado aos dias de hoje.
Já estou com saudades da Rhoda.

27 – 20.02.2017 – Inferno no Colégio Interno (Desventuras em Série #5) – Lemony Snicket (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

28 – 01.03.2017 – O Elevador Ersartz (Desventuras em Série #6) – Lemony Snicket (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

29 – 21.03.2017 Uni-Duni-TêM. J. Arlidge (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

UNIDUNITE_1471551388606216SK1471551388BUm assassino está à solta. Sua mente doentia criou um jogo macabro no qual duas pessoas são submetidas a uma situação extrema: viver ou morrer. Só um deverá sobreviver. Um jovem casal acorda sem saber onde está. Amy e Sam foram dopados, capturados, presos e privados de água e comida. E não há como escapar. De repente, um celular toca com uma mensagem que diz que no chão há uma arma, carregada com uma única bala. Juntos, eles precisam decidir quem morre e quem sobrevive. Em poucos dias, outros pares de vítimas são sequestrados e confrontados com esta terrível escolha. À frente da investigação está a detetive Helen Grace, que, na tentativa de descobrir a identidade desse misterioso e cruel serial killer, é obrigada a encarar seus próprios demônios. Em uma trama violenta que traz à tona o pior da natureza humana, Grace percebe que a chave para resolver este enigma está nos sobreviventes. E ela precisa correr contra o tempo, antes que mais inocentes morram.

Minha opinião: Que boa surpresa! Encontrei esse livro por acaso e a sinopse me despertou interesse. Os primeiros capítulos me pegaram e fiquei presa até o final da leitura! Mistério na medida certa, adorei a narrativa, especialmente nos últimos momentos: o ritmo me manteve cativa.

Pontos adicionais por ter 90% da trama definida por mulheres. Muito bom, pra variar um pouco das histórias policiais atuais.

30 – 29.03.2017 – Redoma – Meg Wolitzer (♥♥♥♥♥♥♥♥♥)

Cheers, kiddos!

Publicado em Uncategorized

Redoma, de Meg Wolitzer

“E, no entanto, um após outro, meus alunos tentaram me explicar que algo estava acontecendo com eles. No começo fiquei cética, e, em seguida, amedrontada. Mas depois vi que eles estavam ficando cada vez melhores. Escrever nos diários de fato parecia ser uma forma de libertação. Então, qual o problema? Eu não conseguia entender direito o que eles estavam passando, mas todos me garantiam que a experiência mudara suas vidas, e de modo positivo. Então, deixei que acontecesse”.

.

Os livros acendem o fogo. Seja um livro já escrito ou um diário em branco que precise ser preenchido. Acho que todos vocês sabem do que estou falando”.

icon-envelope-tick-round-orange-animated-no-repeat-v1.gif Livre de vírus. www.avast.com.
Publicado em Fangirl-isms, Filmes, Fotos, Games

Alicia Vikander como Lara Croft

A Vanity Fair em reportagem exclusiva divulgou as primeiras imagens oficiais de Alicia Vikander como Larinha no novo filme de Tomb Raider.

Referências aos últimos jogos da Square Enix são bem explícitas, tanto no visual quanto no enredo do filme, que narra como, sete anos após o desaparecimento de seu pai, Lara Croft, agora com 21 anos, se recusa a assumir os negócios do pai. Em dado momento, ela resolve investigar o sumiço do pai e viaja para o último destino conhecido dele: uma ilha em algum lugar da costa japonesa.

Alicia Vikander, ganhadora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por Garota Dinamarquesa, está animada com a oportunidade de encarnar uma heroína de games que também é um modelo positivo para meninas. Porém, como fã de Lara, tenho que admitir que a atriz não preenche tão bem uma calça cargo quanto a versão digital da personagem (/comentário fútil detected).

.

Tomb Raider, dirigido por Roar Uthaug, estreia em Março de 2018.