Publicado em Psicologia, Vídeos

Estigmas e Falsos Diagnósticos

Vez em quando eu toco nesse assunto em casa e essa manhã mesmo eu estava conversando sobre isso com a minha irmã, sobre como hoje em dia os “diagnósticos” surgem com uma facilidades tremenda e sem embasamento algum. Qualquer pessoa que tenha uma vez na vida lido um artigo no Google sobre Psicologia ou lido um livro da Ana Beatriz Barbosa Silva já se julga capaz de fechar um perfil clínico de qualquer pobre criatura indefesa.

Eu vejo bastante por aí: Um adulto solteiro, quieto e sem amigos é psicopata, se se exalta vez ou outra é bipolar. Com crianças é pior! Se ela é agitada é TDAH, se é mais retraída é autista. Nós também não escapamos e com a popularização do termo “bullying” não é difícil nos pegarmos pensando naquela vez em que fomos xingados na escola, ou em que alguma criança esticou a perna pra cairmos, sem nos sentirmos vitimizados e justificados pelos corriqueiros comportamentos infantis.

Encontrei um vídeo bem interessante que expõe um pouco disso. Exemplifica nossos estigmas e apresenta uma outra versão da história, uma versão mais simplista. Creio que a atração em diagnosticar alguém esteja ao mesmo tempo na vontade de entender um indivíduo e ao mesmo tempo de se distanciar virtualmente dele, uma vez que concluímos que a pessoa  tem tal e tal distúrbio ou síndrome por apresentar uma série de comportamentos que “batem”, então eu que não apresento tais comportamentos sou diferente dele e do que faz dele um sujeito à margem da sociedade. Isso nos dá uma sensação de superioridade e poder sobre os outros, já que somos “sãos” o suficiente pra enxergar, apontar e qualificar suas personalidades como não-adaptativas.

O fato é que ainda não conseguirmos lidar com o diferente e estamos nos tornando cada vez mais intolerantes. A popularização dos termos psicológicos e a insistência de alguns profissionais em trazer esses termos ao senso comum, ao mesmo tempo em que leva a Psicologia a novos patamares – esses com outlets mais positivos -, abre muito espaço pra achismos e falsas afirmações.

Mas enfim, vamos ao vídeo:

Lembrem-se: qualquer diagnóstico que se queira levar a sério só pode ser feito por um profissional da área e mesmo assim em frente a muita pesquisa, observação e uma anamnese detalhada. Desconfie de tudo que pareça simples demais.

Cheers, kiddos!

Um comentário em “Estigmas e Falsos Diagnósticos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s